Max Oliveira

11/02/2020

Bootstrapping 4 - Como empreender sem investidores

Aprenda a confiar na sua intuição 

Lembro-me até hoje como foi meu primeiro dia como empreendedor. Fiquei 6 meses, em 2012, tocando o projeto inicial do site para colocar no ar e, depois mais 6 meses com operação rodando na MaxMilhas, ainda trabalhando em meu emprego da época. Lembro-me também que saí de férias em julho de 2013 e, ao invés de descansar, fui trabalhar na MaxMilhas. Foi a primeira vez que fiquei 24 horas vivendo o meu negócio.  Fiquei apaixonado! Queria fazer aquilo acontecer e tomei a decisão de pedir demissão sem ainda acreditar de fato que aquela empresa poderia ser algo grande, mas por entender que queria ter os aprendizados que isso me traria independente do resultado final que teria.

Voltei das minhas férias e meu primeiro dia de volta ao trabalho já era o dia de meu feedback com minha gerente. Foi um feedback bem positivo e, no fim, eu disse: "muito obrigado, mas quero pedir demissão."

Minha gerente não entendeu nada e, quando contei o que iria fazer, me achou um pouco louco. Sim, talvez eu seja um pouco louco mesmo, mas segui com minha decisão.

Aliás, muitas pessoas me perguntam quando devem largar o emprego para empreender. Publiquei um artigo dois  anos depois de ter chutado o balde. 

Poucos dias depois de ter pedido demissão, estava no meu carro voltando para Belo Horizonte, cidade onde morei no período de faculdade e iria fundar a nova empresa. A viagem era longa, oito horas de Vitória até BH. No caminho, meus sócios começaram a me enviar mensagens falando que estávamos vendendo muito. Maravilha! O meu primeiro dia como empreendedor depois de ter largado o emprego era o nosso primeiro boom de vendas. Hoje vendemos milhares de passagens por dia, mas, naquela época, eram umas cinco por dia apenas. E naquele dia foram 40 passagens.

Pensei: o que fizemos para vender muito mais hoje? Não conseguia achar a resposta e fiquei desconfiado.

Quando cheguei em casa, decidi analisar as compras. Liguei para vários compradores e muitos o telefone nem existia. Caiu a ficha: eram fraudes.

Dessa vez, os compradores estavam fraudando o site efetuando compras com cartões de crédito clonados. Lembre-se: você está no Brasil, seu primeiro grande aumento de vendas provavelmente serão fraudes.

Tínhamos um contrato com um intermediador de pagamento da época que cobriria as fraudes. Mesmo assim, não confiei. Afinal de contas, era meu próprio pouco dinheiro que estava ali em jogo. Saquei tudo que podia da nossa conta com esse intermediador financeiro e retiramos essa forma de pagamento do site. Depois de alguns dias, eles constataram que eram fraudes e bloquearam a quantia que restava em nossa conta. Como eu já tinha antecipado quase tudo, não bloquearam um valor grande. Caso contrário, provavelmente a MaxMilhas teria encerrado a sua vida ali (não sei se conseguiríamos bancar tamanho prejuízo naquele momento), impedindo que milhares de histórias de viagens acontecessem. Esse  foi meu primeiro dia como empreendedor. Ali, já conheci a montanha russa que tinha entrado. Esse evento exemplifica o quinto conceito do bootstrapping.