Max Oliveira

14/07/2020

A MaxMilhas vem aí com pacotes de viagem


Mais conhecida por conectar usuários dispostos a vender suas milhas com turistas em busca de passagens aéreas mais baratas, a startup vai testar um novo modelo com a oferta de pacotes completos e personalizados que incluem ainda hospedagem e atrações específicas de cada destino escolhido.


A MaxMilhas sempre foi uma das startups mais promissoras do Brasil. Ela faz parte da lista das novatas mais desejadas do País, divulgada pela rede social LinkedIn, e surge com frequência como candidata a se tornar um unicórnio, como são chamadas as companhias que valem mais de US$ 1 bilhão.

Seu modelo de negócio é, relativamente, simples. A MaxMilhas reúne compra de passagens aéreas e vendas de milhas em um mesmo lugar. Desde que foi fundada em 2013, a startup já emitiu mais de 6 milhões de bilhetes aéreos e negociou 60 bilhões de milhas.

Mas aí veio o coronavírus. E a MaxMilhas, assim como todo o setor de turismo, foi impactada. Até abril, a receita da empresa caiu cerca de 90%. Com a queda, a companhia demitiu 167 funcionários, 42% de seu quadro total. Com a equipe reduzida, o foco inicial foi lidar com as remarcações e cancelamentos, frente que afetou 70% das passagens, mais do que todo o volume de 2019.

Depois de superar o impacto inicial e equacionar a operação, a MaxMilhas tenta agora encontrar um novo roteiro. E, nesse contexto, prepara o lançamento de um novo braço de negócios para diversificar o seu portfólio. A empresa vai ampliar sua atuação com a criação e a venda de pacotes completos que incluem passagens, hospedagem e atrações específicas de cada destino.

“Nós vínhamos testando vários formatos, pois entendemos que a empresa chegou a um tamanho que comporta outros negócios”, diz Max Oliveira, cofundador e CEO da MaxMilhas. “Com a crise e os recursos mais limitados, em vez de abrir várias frentes, decidimos convergir tudo em um produto só.”

O modelo deve começar a ser testado neste mês com um pequeno grupo de clientes. Hoje, a MaxMilhas conta com três milhões de usuários. A ideia da startup é partir do conhecimento que tem dessa base para criar pacotes personalizados, em linha com os perfis que já utilizam a plataforma.

Na outra ponta, o plano é fechar acordos com parceiros e prestadores de serviços locais. Com isso, além de descontos, a empresa quer oferecer pacotes que incluam, de fato, experiências que possam ir além das atrações turísticas mais conhecidas nos destinos escolhidos.

“A ideia é investir em parceiros que conheçam bem esses locais e ter boas sacadas”, explica Oliveira, que, depois de validar o modelo, espera lançar o produto até o fim do ano. “E isso inclui desde passeios diferenciados até visitar um restaurante específico para degustar uma determinada sobremesa.”

Clique aqui para conferir a matéria na íntegra.


Cadastre-se e receba novidades

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Comentario salvo para avaliação.

04/08/2020 09:19:42 | gildo teixeira dos santos

Bom dia Max Sou aqui de caxias do sul e vi uma palestra sua sobre empreendedorismo e gostei muito achei voce bastante verdadeiro, tambem fui atingido pela pandemia e atualmente estou desempregado. Fiz alguns cursos sobre milhas e vi que o mercado quase afundou. Mas gostaria de perguntar para voce: Voce acredita que em 2021 o mercado de milhas vai bombar? Cuidado com a resposta pois vou ir com ela. Abraço que Deus continue te abençoando e que seus projetos cresçam de acordo com seus propositos. GILDO

Últimas notícias

A MaxMilhas vem aí com pacotes de viagem

Na matéria, um pouco sobre o novo produto de experiências da MaxMilhas que está em fase de teste.

14/07/2020

Inspirando alunos do ISECENSA

Compartilhar conhecimento, desafios e aprendizados também é parte da trilha do empreendedor. Assista o vídeo e inspire-se.

14/07/2020

Live exclusiva para a Época Negócios

Na conversa, uma análise sobre o mercado aéreo, o futuro das viagens e as lições da MaxMilhas com a pandemia.

30/06/2020